Filtrar conteúdo: Todos (99)  
  • 

    Reportagem / Copa Fusca, Marcas e Fórmula RS

    Seção: Diversos
    Data: julho 6, 2016
    Autor: Bernardo Bercht/PITLANE

    Tarumã teve os pegas do Gaúcho de Velocidade com jeito de corrida de verão. Em meio aos pegas acirrados, tivemos um bom grid com alguns acidentes no Marcas 1.4 e todas as categorias alinhando com grids de dois dígitos para suas batalhas

    Duelo entre Fraga e Figheras marcou o domingo nos Fuscas/ FOTOS Bernardo Bercht

    Duelo entre Fraga e Figheras marcou o domingo nos Fuscas/ FOTOS Bernardo Bercht

    A Copa Fusca deu início aos trabalhos com Fabrício Fraga puxando a fila em meio à manhã com sol de rachar em pleno inverno. O piloto de Tapes repetiu aquele duelo que tem tudo para virar clássico com a família Fighera, mas levou a melhor com alguma folga na primeira bateria. Carlos Guizzo foi o segundo, com Paulo Teo da classe B em terceiro e aí sim a dupla Moacir e Daniel.

    Disputa que esquentou mesmo, com o perdão do trocadilho, à tarde de céu azulão. Fraga saltou na frente, mas Fighera escalou o pelotão e grudou no vácuo. Foi um duelo frenético por quase todas as 18 voltas, com ataque muito intenso na Curva 1. Mas Fraga conseguiu deixar sempre a linha externa e segurou a ponta para faturar o dia. Guizzo fechou em terceiro e Paulo Teo garantiu a vitória da B. Outro destaque foi o pega de tirar lasca no meio do pelotão, com Paulo Fontes, Italo/Tribolo/Ricardo Jr, Milton Santos e Silvano Brock enredados na Curva 1 na disputa do pódio da B.

    Paulo Teo, vencedor da B e terceiro no geral

    Paulo Teo, vencedor da B e terceiro no geral

    Veio a Fórmula 1.6 e Fernando Stedile, fã de uma boa pescaria, estava imparável no clima de praia. Liderou todas as voltas das duas corridas do dia, apesar de Matheus Rouver e Cali Crestani terem dado trabalho. Na primeira corrida, Rouver teve que passar Crestani com arrojo na Curva 1 para depois ir à caça de Stedile, mas sem conseguir atacar para valer. Cali parou com problema elétrico e Alexandre Bragagnolo foi o terceiro, somando pontos importantes na luta pela liderança do campeonato. Joacir Stedile faturou na Light, à frente de Joel Grasselli e Wagner Balestro foi melhor na estreia dos 1.4.

    Briga tripla na largada, com Crestani tentando superar Rouver e Stedile

    Briga tripla na largada, com Crestani tentando superar Rouver e Stedile

    Na segunda prova, Rouver apostou tudo na largada e chegou a andar lado a lado com Stedile nas Curvas Um, Dois e Três, mas o gringo teve a preferência do Laço e se manteve na dianteira. Depois disso, o sergipano ficou com o carro inguiável após quebra na suspensão. Cali Crestani veio lá de trás, passando um a um e assumiu a responsabilidade de pressionar Fernando. Conseguiu reduzir até 1,2s a diferença, mas Stedile administrou para vencer à frente do adversário de Tapera. Bragagnolo faturou mais um terceiro lugar em dia que uma virose atrapalhou as aceleradas. Joacir Stedile fechou o dia 100% para a família na Light, com Balestro repetindo a dose na 1.4.

    Seabra faturou a prova 1, após começo acidentado

    Seabra faturou a prova 1, após começo acidentado

    Veio o Marcas 1.4 e a turma se encontrou feio já no começo de prova. Maicon Roncen e Thiago Messias, em acidentes “compartilhados”, mas separados, acabaram fora do páreo. A batida de Roncen assustou mais, destruindo totalmente a dianteira do seu Gol, mas fora o susto, tudo bem com o piloto. Messias ainda voltaria para mais velocidade à tarde. Fernando Seabra (correndo em dupla com Ricardo Boessio) assumiu o comando da prova e segurou os ataques de Dionathan Marins para faturar a bateria.

    Esse carro ficou batido na primeira, mas Messias voltou para faturar a segunda

    Esse carro ficou batido na primeira, mas Messias voltou para faturar a segunda

    A segunda corrida o destaque foi todo para Messias. Do fundo do pelotão e com um carro diferente do que largou na primeira, ele ganhou posições volta a volta até vencer. Antes disso, porém, a corrida começou esquisita, com uma largada confusa, em que os carros da frente não viram a sinalização de início de prova. Lorenzo Fossá acabou atingido e a prova paralisada com bandeira vermelha. Na relargada tudo certo e disputas abertas no pelotão. Messias cruzou em primeiro a 1,4s do paulista João Lemos e a 2,2s de Dionathan Marins.

     

    Pedro Basler venceu na Classe B com o Celta e perturbou a turma da A

    Pedro Basler venceu na Classe B com o Celta e perturbou a turma da A

    Ainda faltava o ronco um pouquinho mais encorpado do Marcas 1.6, que reuniu 10 carros no seu grid. O fominha Fernando Seabra estava num deles, mas na primeira bateria foi seu companheiro Alex Schons que mandou na parada a bordo do Gol #10. Após o postulante ao título Rodrigo Miguel ficar fora em uma pancada com direito a capotagem na Curva 1, Schons liderou com autoridade e venceu com quase três segundos de vantagem para Pedro Basler, que inclusive venceu na Classe B. O segundo colocado da A foi o professor Airton Diehl voltando a pisar firme no acelerador na dupla com Bruno Razia a bordo do Corsa #45. De Ford Ka, Choka Sirtuli foi o terceiro.

    Inspirado na goleada da França sobre a Islândia, o dia estava bom mesmo para os Gols. Cleber Vieira levou o #40 à vitória na segunda bateria com 2,6s de vantagem para Fernando Seabra com uma dobradinha Volkswagen a bordo do #10. Bruno Razia manteve o Corsa EGP #45 no pódio com o terceiro posto. Pedro Basler voltou a faturar na B, à frente de Alex Reis Ribeiro.

    Professor Airton Diehl faturou pódio em dupla com Bruno Razia

    Professor Airton Diehl faturou pódio em dupla com Bruno Razia

    Comentários