Filtrar conteúdo: Todos (102)  
  • 

    Reportagem / AJR #28 no lugar mais alto do pódio nas Três Horas de Tarumã

    Seção: Endurance
    Data: outubro 30, 2017

    Na grande final do Campeonato Brasileiro e Gaúcho, neste sábado, no tradicional circuito gaúcho, o que não faltaram foram emoções e boas disputas

    O vencedor das Três Horas de Tarumã /FOTO DUDU LEAL

    O vencedor das Três Horas de Tarumã /FOTO DUDU LEAL

    Um ano de evolução, com mais de 60 carros, disputando as seis etapas do Campeonato Brasileiro de Endurance, que passou três vezes pelo RS, em Tarumã e Santa Cruz do Sul; duas em SP, em Interlagos e Velo Città e; no PR, com uma etapa em Curitiba. A final prometia, onde as seis categorias asseguravam que seria eletrizante. Os já campeões brasileiros por antecipação, Ricardo Maurício e Marcel Visconde, com o Porsche #20, eram os favoritos, pelas quatro vitórias consecutivas no ano, se destacando também como a melhor equipe da temporada com a Sttutgart Motorsport, mas a última etapa mostrou muita competitividade e a hegemonia do Porsche foi quebrada.

    O AJR #28, fabricado pela Metalmoro, com um projeto do piloto Juliano Moro e de seu pai, o diretor da empresa Ademar Moro, conquistou ontem a vitória inédita na prova. Largando na pole, depois de Moro marcar o tempo de 57s386, o responsável por largar na posição de honra do grid foi Henrique Assunção, mas uma confusão na largada fez o piloto perder a posição na primeira curva, com William Freire fazendo um início de corrida espetacular e colocando a Lamborghini #31 – Mottin Racing, que forma dupla com Marcello Santanna, na liderança depois de largar na oitava posição, mas as três horas de corrida reservavam boas emoções.

    Posrche #20 dominou a categoria em 2017

    Posrche #20 dominou a categoria em 2017

    A largada aconteceu em pista seca, mas a chuva deu as caras em vários momentos da prova e, com isso, a estratégia das equipes foi fundamental, com a JLM Racing de Moro fazendo a lição de casa para o belo modelo cruzar a linha de chegada na primeira posição. A segunda colocação foi do ProtoV8 – Hoerlle Racing, de Oswaldo, Guilherme e Eduardo Scheer, seguido pelo MR18 117 – SP MEC, dos paulistas Fernando Fortes e Renan Guerra.  A Porsche #20 de Visconde e Maurício teve um pneu furado nas voltas finais e ficou na sexta posição.

    “Estou bem feliz com essa vitória. Trabalhamos muito pesado nos últimos dois anos, com um projeto de um modelo que tem tudo para ser muito competitivo, mas esse ano foi de desenvolvimento na pista e alguns problemas nos atrapalhavam nos resultados finais, tanto que cravamos três poles nas provas que participamos. Hoje, o resultado veio. Agradeço a toda equipe, que fez um trabalho fantástico, ao Emílio (Padron) e ao Henrique (Assunção), que dividiram o carro comigo, e à JL, em especial ao Zequinha Giaffone, que acreditou no nosso projeto e desenvolveu o motor do AJL #28”, comemorou Juliano Moro.

    Nas outras categorias, apesar de muitos campeões já estarem definidos, o que se viu na pista foram muitas disputas e uma luta do início ao fim pelas primeiras posições. Na P2, os campeões brasileiros são Henrique Assunção e Fernando Ohashi (MRX #75 – SPMEC), com o vice-campeonato sendo definido na prova deste sábado, com o segundo lugar de Mauro Kern e Paulo Sousa (Tubarão #32). A vitória na prova foi de Cali Crestani, com o Tornado #03.

    Vice-campeões da GP1 - Tiel de Andrade e Franco Pasquale

    Vice-campeões da GP1 – Tiel de Andrade e Franco Pasquale

    Na classe P3, Julio Martini e Marcelo Vianna, que fizeram uma temporada irretocável, com a conquista do título com duas etapas de antecipação, venceram mais uma a bordo do Tubarão #69. Os vice-campeões são os irmãos Gustavo e Rafael Simon (MRX #56), da equipe Motorcar Racing, que teve uma temporada de muito destaque. Outro time, que também fez um grande trabalho na temporada 2017 foi a MC Tubarão, que levou Tiel e Franco Pasquale ao vice-campeonato na GP1, o vice-campeonato na P2 de Kern e Sousa, e o campeonato da P3 de Martini e Vianna.

    Para a GT1, o momento era de definição, já que o campeonato estava aberto e três times poderiam ser campeões. O resultado só foi definido nas últimas voltas com a Lamborghini #46 – Mottin Racing, de Vilson Jr., Paulo Rutzen e Gustavo Martins ficando com o título brasileiro. O vice-campeonato também foi para Mottin Racing, com o Sonic #17 de André Senger e Beto Giacomello. A disputa foi acirrada com a Ferrari #155 de Carlos Kray e Ricardo Mendes, que ficaram com terceira colocação no campeonato, e, durante a temporada, dividiram o topo da tabela com a Lamborghini #46. Na GT2, o título ficou com Arthur Caleffi e, na T, com a dupla Ricardo Terres e Juarez Terres.

    O presidente da APE, Henrique Assunção, comemorou o resultado da temporada, fazendo um agradecimento especial na premiação, que aconteceu em grande estilo logo depois do encerramento da prova, com uma confraternização entre os pilotos, equipes, patrocinadores e convidados. “Só temos que agradecer todo o esforço daqueles que participam do Endurance, da CBA e da FGA, que a cada etapa, nos dão um suporte muito importante para alcançarmos esse sucesso. Que venha 2018, quando queremos alcançar novas metas e consolidar cada vez mais nosso campeonato. Quero agradecer também o apoio dos nossos patrocinadores, que acreditam muito nesse projeto: a DOPAMINA, nosso patrocinador máster, a AutoMais, que esteve conosco em todas as transmissões, a Pirelli, a Absoluta, a Eurobike, a Konrad Caminhões, a Sulina Óleos e a Sttutgart”, destacou Assunção.

    MAIS FOTOS E INFORMAÇÕES NA EDIÇÃO DA REVISTA EM NOVEMBRO

    Marcel Visconde e Ricardo Maurício os campeões de 2017

    Marcel Visconde e Ricardo Maurício os campeões de 2017

    Comentários